15 Receitas de Suco Detox para Perder Barriga

Todos já sabemos dos benefícios do suco detox para a saúde, certo? Mas, apenas para lembrar, o suco detox pode ajudar numa série de fatores, de limpar o organismo de toxinas, a desinchar, ajudar a emagrecer, melhorar aparência da pele e melhorar o funcionamento geral do corpo.

Se você quer tomar um suco detox para perder barriga especificamente, saiba que existem algumas combinações de alimentos que podem ajudar muito nesse sentido, mas lembre-se que só o suco não faz milagres. Se você não mudar sua alimentação por uma mais equilibrada e não realizar exercícios, não há suco detox que transforme sua vida. Ele pode ser um importante aliado, mas tome-o com consciência e aliado a um plano de dieta saudável.

Leia também: Kifina funciona

Evite adoçar esses sucos com açúcar – se for necessário, use um pouco de mel. Lembrando que nenhum dessas receitas substitui uma refeição, por isso, você pode tomar no intervalo entre as refeições principais.

Beba logo que preparar para não perder as propriedades e nutrientes. Confira então as receitas e combinações e bom preparo!

Leia também: Phytophen é bom

1. Receita de suco detox para perder barriga com couve
Ingredientes:

2 folhas de couve;
1/2 limão;
2 cm de gengibre;
100 ml de água de coco.
Modo de preparo:

Lave as folhas de couve e bata no liquidificador com o suco de limão, gengibre e água de coco. Quando estiver bem homogêneo sirva com cubos de gelo. Se quiser adoçar adicione um pouco de mel.

Leia também: Farinha seca barriga o que é

2. Receita de suco detox para perder barriga com beterraba
Ingredientes:

ARTIGOS COMPLEMENTARES
10 Receitas de Suco Detox Com Água de Coco Para Emagrecer
10 Receitas de Suco Detox Com Gengibre e Limão Para Emagrecer
10 Receitas de Suco Detox com Cenoura Para Emagrecer
10 Receitas de Suco Detox Com Hortelã Para Emagrecer
1 beterraba média;
1 litro de água.
Modo de preparo:

Lave e descasque a beterraba. Corte em pedaços menores e leve para bater com água bem gelada. Sirva sem adoçar.

Leia também: Max Detox funciona

3. Receita de suco detox para perder barriga com melancia
Ingredientes:

1 fatia de melancia grossa;
raspas de gengibre a gosto;
100 ml de água filtrada.
Modo de preparo:

Leve a melancia sem sementes ao liquidificador e bata com a água e gengibre. Quando estiver homogêneo sirva com pedras de gelo. Não precisa adoçar, pois a melancia já é doce.

4. Receita de suco detox para perder barriga com abacaxi
Ingredientes:

5 fatias de abacaxi;
3 folhas de hortelã;
2 folhas de couve;
suco de 1 limão;
2 rodelas de gengibre.
Modo de preparo:

Bata as rodelas de abacaxi com folhas de hortelã e couve lavadas, suco de limão e gengibre. Sirva o suco homogêneo com gelo. Se quiser adoce com um pouco de mel.

5. Receita de suco detox para perder barriga com laranja e cenoura
Ingredientes:

1 cenoura média ralada;
suco de 3 laranjas.
Modo de preparo:

Bata a cenoura descascada e ralada com o suco das laranjas. Sirva com pedras de gelo. Evite adoçar, mas se for muito necessário adicione um pouco de mel.

6. Receita de suco detox para perder barriga com couve e gengibre
Ingredientes:

3 folhas de couve;
2 rodelas de gengibre;
100 ml de água filtrada;
adoçante a gosto.
Modo de preparo:

Lave as folhas de couve e bata no liquidificador com o gengibre, água e adoçante. Sirva esse suco em seguida para se beneficiar de todas as propriedades.

7. Receita de suco detox para perder barriga com limão
Ingredientes:

1/2 limão espremido;
1 folha de couve;
1 copo de água filtrada bem gelada;
mel para adoçar.
Modo de preparo:

Bata a folha de couve higienizada com a água, mel a gosto e suco de limão. Sirva logo em seguida com pedras de gelo.

8. Receita de suco detox para perder barriga com berinjela
Ingredientes:

1 berinjela média ou grande;
suco de 1 limão;
200 ml de água gelada.
Modo de preparo:

Deixe a berinjela de molho em 100 ml de água gelada por 30 minutos. Esprema o suco de um limão inteiro no restante da água. Adicione o suco de limão à água de berinjela e beba em seguida. Use a berinjela para outros preparos e receita.

9. Receita de suco detox para perder barriga com pepino
Ingredientes:

1 folha de couve;
1 pepino;
1 limão;
1 maçã;
folhas de hortelã;
200 ml de água gelada filtrada.
Modo de preparo:

Pique a couve lavada e corte o pepino em rodelas finas. Esprema o limão e leve para bater com a couve e o pepino Corte a maçã em pedaços pequenos e coloque no liquidificador. Adicione folhas de hortelã e água bem gelada. Bata e sirva em seguida.

10. Receita de suco detox para perder barriga com kiwi
Ingredientes:

300ml de água;
1 kiwi;
1 colher de sopa de linhaça;
1 colher de sopa de biomassa de banana verde;
1 colher de semente de girassol;
1 maçã vermelha;
½ folha de couve.
Modo de preparo:

Descasque o kiwi e pique em pedaços. Pique a maçã com casca e retire sementes. Leve ambos para bater no liquidificador com o restante dos ingredientes. Quando estiver homogêneo, sirva com gelo sem adoçar.

11. Receita de suco detox para perder barriga com nectarina
Ingredientes:

1 colher de sopa de beterraba ralada;
1 colher de sopa de cenoura ralada;
2 nectarinas;
150 ml de água.
Modo de preparo:

Descasque e rale a beterraba. Faça o mesmo com a cenoura. Leve ambas para bater com o suco das nectarinas e a água. Sirva com gelo.

12. Receita de suco amarelo detox para perder barriga
Ingredientes:

200 ml de água gelada;
1 pera;
¼ de abacaxi sem casca;
1 colher de chá de gengibre.
Modo de preparo:

Bata a água com a pera, abacaxi e gengibre até ficar homogêneo. Sirva com pedras de gelo.

13. Receita de suco detox para perder barriga com maçã verde
Ingredientes:

1 maçã verde;
1 colher de sopa de farinha de banana verde;
1 colher de sopa de linhaça;
1 colher de sopa de mel;
200 ml de água filtrada.
Modo de preparo:

Bata a maçã picada sem sementes e com casca com a farinha, linhaça, mel e água até obter um suco homogêneo. Adicione gelo e sirva.

14. Receita de suco detox para perder barriga com ameixa
Ingredientes:

1 ameixa preta seca sem caroço;
2 fatias de abacaxi;
3 folhas de hortelã;
200 ml de água de coco;
1 colher de sopa de semente de linhaça dourada.
Modo de preparo:

Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva em seguida com gelo e sem adoçar.

15. Receita de suco detox para perder barriga com pimenta caiena
Ingredientes:

1 pimenta caiena;
2 fatias de abacaxi;
1/2 suco de limão siciliano gelo a gosto;
200 ml de água de coco.
Modo de preparo

Bata no liquidificador todos os ingredientes e beba logo em seguida. Se seu liquidificador não conseguir bater o gelo, adicione após o preparo. Sirva!

Colágeno: o que é, para que serve, benefícios, função, onde encontrar

Colágeno é uma proteína e representa aproximadamente 25% da parte desses aminoácidos que formam o corpo humano. Está espalhado em diferentes locais como tendões, ossos, pele e dentes.

Não é por acaso que a palavra “colágeno” é uma derivação do grego “Kola”, pois é essencial para que vários processos orgânicos aconteçam, entre eles de unir órgãos.

Buscar por recursos que possam auxiliar para que os níveis deste elemento se façam presentes por mais tempo no corpo humano, é hoje um dos grandes desafios da indústria farmacêutica e estética.

Contudo, entender e ouvir falar como o colágeno pode diminuir as chances de um tumor se alastrar por exemplo, ainda é incomum. Pesquisas mais recentes, aos poucos estão sendo publicadas e nos fazem entender como essa proteína pode interferir positivamente retardando o alastramento da tumefacção.

Sabe-se ainda que o processo de homeostase tem grande ligação com a quantidade de colágeno, aliás é dependente desta.

Unificar as células do tecido de humanos e de outros animais, tornando-as fortes e resistentes, a fim de alcançar a cicatrização ou a manutenção da elasticidade são argumentos levados em consideração ao escolher essa proteína para rejuvenescimento.

Podemos ainda confiar no colágeno para emagrecer? Quais as outras propriedades e funções ele pode oferecer? O que é colágeno hidrolisado?

Essas e várias outras dúvidas serão respondidas ao longo deste artigo preparado pela equipe de redação Dicas de Treino. Continue a leitura!

O que é Colágeno

Como dito, é uma proteína do tipo fibrilar, encontrada no tecido formado por vários tipos de células presentes em animais e humanos.

Proteínas fibrilares nada mais são que macromoléculas muito longas e com vários filamentos que caracterizam a elasticidade em alguns órgãos como tendões, ligamentos e outros tecidos conectivos (servem para dar forma e estrutura).

Podemos entender como sua função é relevante, apalpando órgãos como nariz e orelha, que parecem se “dobrar” ao toque, sem ocasionar dor ou desconforto.

O organismo produz colágeno, mas, assim como outros elementos com o decorrer da idade quedas são inevitáveis. Estima-se que por volta dos 30 anos, mulheres sentem a redução.

Flacidez, aumento da celulite, unhas quebradiças, dores nas articulações e até aumento de chances de fratura, são todos sintomas da queda de colágeno.

Existem ainda subdivisões do colágeno em tipo 1, 2, 3 sendo as principais e demais secundárias. O tipo 1 tem relação com ossos, tendões, ligamentos, tecido intersticial e dentes.

Enquanto que o tipo 2 está mais evidente nas cartilagens e no olho. Já, do tipo 3 pode ser encontrado nos músculos, pele e vasos sanguíneos.

Alimentos e outros hábitos positivos ajudam a manter os níveis dessa proteína, contudo, nos últimos 50 anos pesquisas apontam os suplementos com base nos mesmos aminoácidos que o corpo produz, como a melhor e mais eficiente forma de repor o colágeno perdido.

Um dos itens mais conhecidos para auxiliar no consumo dessa proteína é a gelatina, que é sem dúvida um alimento muito apreciado pela singularidade no paladar e estrutura.

Apesar de formada com a homogeneização de oligopeptídeos que passam pelo processo de hidrolise, a gelatina tem pouca significância quando o assunto é repor colágeno.

Em se tratando de suplementação eficiente e eficaz, o Colágeno_Hidrolisado da Growth Supplements é a solução como veremos adiante.

Para que serve o Colágeno

Talvez não saiba, mas no colágeno podemos encontrar 8 aminoácidos essenciais e 1 não essencial que é o Triptofano. Entre esses presentes, Glicina, Hidroxiprolina e Prolina representam 50%.

Porém, é necessário salientar que só a prolina e a glicina são superiores em 20 vezes no colágeno em relação a outras proteínas.

Tudo isso, eleva o poder do colágeno que serve com eficiência para prover e melhorar a estrutura da pele, deixando-a firme e com elasticidade natural. É tanto um preventivo como reparador, pois mantém as células da derme e de órgãos internos unidas e firmes.

Recorrer a suplementação é essencial aos primeiros sinais de queda na produção, que normalmente aparecem na meia idade.

Alguns sinais que instigam que a produção de colágeno esteja diminuindo podem ser percebidos especialmente na pele e com mais relevância aos 50 anos, mas, conforme o estilo de vida e pré-disposição genética, algumas pessoas são acometidas pela queda ainda muito jovens.

Leia também:
Benefícios do Kefir para Pele e Cabelo

COLÁGENO_e ELASTINA – Eu quero é mais!

Como fazer Chá de Hibisco gelado para Emagrecer?

De acordo com pesquisas – mulheres com 25 anos passam a perder em torno de 1% da possibilidade de produzir colágeno anos após ano. E já nessa fase da vida, aumento da flacidez, aparecimento de rugas faciais, sinais de desidratação, tornam-se presentes e influenciam na saúde e tônus da pele.

Entretanto, outros indícios servem de argumento para buscar a reposição desta proteína, como exemplo:

Cabelos com o fio mais finos;
Surgimento de estrias;
Unhas quebradiças;
Ligamentos fracos;
Diagnóstico de osteoporose e osteopenia.
Como pode perceber, a função do colágeno é sistemática e congruente para todas as fases da vida, principalmente para otimizar a estruturação de órgãos e providenciar a mobilidade sem dores ou inconvenientes.

Além da capacidade de agrupar células protegendo órgãos internos com ação semelhante a um “andaime” ou “capa”.

Benefícios do Colágeno

Para compreender os benefícios da suplementação com colágeno retomemos a composição da molécula deste elemento. Essa, que consiste na continuidade literal de 3 aminoácidos, que são Glicina (Gly), Prolina (X) e hidroxilisina (Y), além da alanina.

No organismo, o suplemento servirá como estimulador a produção de colágeno em locais determinado como cartilagens e pele, por exemplo, mas, ainda benefícios particulares serão aproveitados como no caso da:

#Glicina: Importante para crescimento muscular, síntese de glicose e digestão;

#Prolina: Indispensável para dar sustentação e deixar a pele firme;

#Hidroxilisina: Essencial para a coagulação e síntese de vitaminas como a C;

#Alanina: Anti-fadigante muscular.

Quando integrados, esses aminoácidos trazem ao organismo benefícios gigantes e que podem ser percebidos visivelmente. Entre eles podemos destacar:

Ampla prevenção para o estiramento e ruptura das fibras que formam tecidos musculares;

Diminui a probabilidade de desenvolver inflamações cutâneas como a celulite;
Melhora consideravelmente a elasticidade;
Possibilita que unhas fiquem mais fortes evitando quebras;
Ajuda a selar a cutícula capilar evitando danos aos fios;
É um dos preventivos mais eficientes para evitar rugas e linhas de expressão.
Mas, é para prover a saúde óssea e estrutural que os benefícios do colágeno precisam ser aproveitados.

De acordo com o instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo, somente o colágeno é que pode promover que cartilagens, responsáveis por atenuar o atrito ósseo, fiquem livres da osteoartrite, por exemplo.

Além desse comentário, a coordenadora do Centro de Pesquisas Sanavita, localizado em São Paulo, Andrea Frias, são os peptídeos (glicina, hidroxiprolina e prolina) que servem para auxiliar que fibras se formem para “articulações de aço”.

A condição humana e a falta de Colágeno

Quando ocorre a falta desenvolvemos a doença conhecida como colagenose. Entre os inconvenientes que ela causa, estão a má formação dos ossos; inflamações recorrentes onde músculos de juntam; rigidez muscular; doenças na pele e crescimento longitudinal prejudicado.

Situações genéticas influencia para a pouca produção de colágeno, em particular em órgãos como coração, olhos e esqueleto. Três situações são apontadas como prováveis para a pouca eficiência da proteína, são elas:

1. Síndrome de Ehlers-Danlos (cútis elástica, síndrome do homem elástico): Caracteriza-se pelo defeito na síntese de colágeno que leva a articulações frágeis, extrema fadiga e mais uma dezena de problemas de saúde. É rara e não tem cura.

2. Síndrome de Marfan: Decorrente da má formação de cromossomos, manifesta-se ainda na infância com a caracterização da altura elevada, membros superiores alongados, deformidades torácicas, oculares e outros.

3. Osteogênese: ossos extremamente frágeis que se quebram muito facilmente.

Dietas carentes de micro e macronutrientes (principalmente proteínas com constituição bioquímica de polipeptídeos) são causadores do déficit.

Contudo, o desgaste em decorrência da idade que pode ainda ser acelerado devido a ação de radicais livres, toxicidade ambiental, vícios e o próprio declínio hormonal, também interferem negativamente para a perda.

Analisemos ainda mais duas situações para compreender a importância do colágeno na vida humana:

Para esportistas: Que necessitam cuidado redobrado com articulações, ossos e músculos e neste caso devem buscar atender as demandas com a dieta e suplementação como veremos adiante.

Para idosos: Graças aos peptídeos de colágeno, o superávit na mobilidade e estimular células dos tecidos em torno das articulações e auxiliar para manter a massa magra, será garantido.

Colágeno natural o que é?

Buscar na dieta – uma forma de agregar colágeno ao organismo – é fundamental em qualquer estágio da vida.

A lista de alimentos indispensáveis nessa proposta, passa principalmente por fontes de aminoácidos semelhantes aos encontrados na molécula orgânica.

Podemos destacar os seguintes alimentos como fontes naturais de colágeno:

Carnes vermelhas e brancas diversas;
Peixes, ostras e outros frutos do mar;
Ovos;
Frutas vermelhas e outros com vitamina C;
Nozes, castanhas e amêndoas;
Aveia;
Pimenta;
Tomate;
Beterraba;
Vegetais diversos em especial os de cor verde forte;
Chá branco.
Entretanto, suplementos a base de peptídeos de colágeno são providencias para auxiliar na reposição.

Fórmulas prontas que prometem auxiliar na manutenção dos níveis, como também aumentar essa proteína, devem conter também boas quantidades de minerais (zinco e selênio), vitaminas em especial a C, quantidade relevante de proteína e acima de tudo…

… não oferecer quantidades altas de carboidratos e energia, o que poderia levar a ganho de peso.

Muitas marcas estão disponibilizadas no mercado com a descrição “fórmula natural de colágeno”, entretanto, é importante conferir o perfil do fabricante, assim como composição e avaliação da fórmula.

Colágeno Hidrolisado

Para chegar ao colágeno hidrolisado as proteínas são “quebradas” através da hidrólise, onde a cadeia maior da molécula é dividida e outras moléculas contendo água são adicionadas.

A partir disso, novos fragmentos surgem, contudo com tamanho ideal para que o organismo (trato intestinal) absorva com maior êxito, favorecendo que o colágeno chegue rapidamente a corrente sanguínea.

O colágeno hidrolisado tem a biodisponibilidade comprovada em estudos. Um deles, ocorreu em 1999 e utilizou camundongos como cobaias. Neste estudo, verificou-se que a maior parte do suplemento (90%) é absorvido nas 6 horas seguidas após a ingestão e a maior parte fica retida na derme.

Já, na análise feita em 2005, pode-se afirmar que boa parte dos peptídeos também são absorvidos no plasma.

Leia também:
Benefícios do Kefir para Pele e Cabelo

COLÁGENO_e ELASTINA – Eu quero é mais!

Como fazer Chá de Hibisco gelado para Emagrecer?

Estudos mais recentes apontam que o colágeno hidrolisado é também relevante para fazer crescer cabelos e unhas. Mas, os efeitos para evitar tumores, principalmente diminuindo a proliferação de células doentes é o resultado mais significativo nas pesquisas.

Vale ressaltar que as propriedades funcionais e nutricionais do colágeno hidrolisado, são fundamentais para auxiliar na construção de músculos e de acordo com literaturas pode também auxiliar no emagrecimento.

As duas funções para perda de peso – as quais ainda estão sendo estudadas – incluem a suplementação como forma de maximizar o efeito saciador e também o modo positivo de ação para acréscimo de energia diário.

Diferença para o colágeno em cápsula para o colágeno em pó

A dinâmica química e os estudos efetivos oferecem o colágeno artificial em diferentes formas e funções.

Leia também: Skin renov funciona

Hoje, podemos encontrar colágeno em sachês, balas, barras nutritivas e até bombons com a proteína.

Entretanto, versões em pó e cápsulas são tradicionais e as mais consumidas. A principal diferença entre uma e outra é a concentração e a funcionalidade.

Enquanto a versão em pó oferece uma concentração melhor com mínimo de 9g de colágeno por unidade, a versão cápsula oferta entre 500mg até 1g por unidade (valor muito aquém para que efeitos se mostrem).

Além disso, seria necessário consumir muitas cápsulas por dia (mais de 10) para chegar a bons índices de reposição no organismo, o que resultaria em investimento muito superior caso optasse pelo colágeno em pó.

Isso sugere que mesmo sendo a versão pó menos funcional, vale investir a fim de garantir o objetivo.

Leia também: Fascia reclame aqui

Como tomar o colágeno

Se optar pela substância em cápsulas poderá consumir durante o dia, distribuído em tomadas ou em uma única vez.

É importante consumir paralelamente sucos naturais sem açúcar de frutas com vitamina C e alimentos que contenham minerais.

Já em pó pode ser adicionado a vitaminas e iogurtes entre as refeições principais.

A atenção na concentração que o fabricante diz ofertar no suplemento, deve ser mantida para que não consuma pouco ou muito colágeno.

Perguntas e Respostas

Colágeno ajuda engordar?
Não. Ao contrário, muitos produtos para emagrecer contem colágeno na fórmula.

Vale aqui destacar a pesquisa publicada no site especialista em esclarecimentos sobre suplementação Nutrition Advisor, que foi feita com 50 pessoas obesas consumidoras de colágeno hidrolisado.

Durante 30 dias, uma colher do suplemento foi adicionada a dieta e surpreendentemente após 90 dias a média de emagrecimento do grupo alcançou mais de 4 kg.

Colágeno ajuda emagrecer?
Sim ele é um coadjuvante para o emagrecimento, sendo indicado inclusive para suplementar nos períodos de dieta.

Entretanto, não há provas científicas que o colágeno emagrece por si só, mas, o senso popular afirma que um efeito colateral (aliás muito bem visto) é o emagrecimento. Que acontece naturalmente após algum tempo da suplementação.

Qual o melhor Colágeno?
O colágeno é um dos suplementos mais democráticos que existe, pois serve para homens e mulheres com taxas próximas a zero de efeitos colaterais.

Porém, é fundamental escolher somente marcas recomendadas como por exemplo o Colágeno_Hidrolisado da Growth Spplements.

Elaborado com matéria-prima excepcional e de acordo com padrões rigorosos de qualidade é o suplemento ideal a base de colágeno para proteger articulações, melhorar a pele e afastar o envelhecimento, como também somar para benefícios extraordinários, entre eles diminuição das chances de desenvolver hipertensão, problemas estomacais e úlceras.

Além disso é um suplemento diferenciado para atletas que visam a construção muscular e pessoas que precisam emagrecer.

Onde comprar Colágeno?
Para mais segurança e garantir um produto original, com preço justo e entrega rápida, acesse a página de vendas da Growth Supplements e solicite o Colágeno Hidrolisado. É fácil e confiável, clique aqui e confira!

Como sempre, a equipe Dicas de Treino preparou este post para esclarecer como aproveitar os benefícios da suplementação, neste caso, do colágeno hidrolisado.

Sugerimos partilhar este artigo na sua rede social preferida e enviar perguntas sobre o assunto no chat abaixo.

Articulações dolorosas: pesquisando as causas

dor articular é a manifestação dolorosa de inflamação nas articulações. 
Existem patologias que podem envolver estruturas articulares ou periarticulares , causando inflamação , devido a que os movimentos das articulações afetadas são alterados e dolorosos. Os locais mais freqüentemente afetados pelo problema são joelhos, cotovelos, tornozelos, ombros e punhos.As principais e mais comuns causas de dor nas articulações podem ser encontradas em doenças relacionadas à idade, como osteoartrite e artrite reumatóide. Neste caso, o problema é de natureza degenerativa, e os sintomas – rigidez e dor – são causados ​​por um afinamento do tecido cartilaginoso devido ao desgaste, que leva à fricção das cabeças dos ossos e consequente inflamação. 
A osteoartrite afeta 8 em cada 10 pessoas após os 60 anos , enquanto em indivíduos jovens pode ocorrer como resultado de trauma ou fratura. 

Outras causas de dor nas articulações incluem outras doenças inflamatórias não relacionadas à idade. Entre estes:

  • Bursite : é a inflamação dos pequenos sacos que são encontrados entre os ossos, tendões e músculos. Os sacos contêm líquido sinovial e, quando inflamados, causam dor que pode sofrer uma infecção bacteriana . A parte afetada, portanto, fica avermelhada e incha. É tratado com antibióticos, compressas frias e repouso.
  • Tendinite : é a inflamação dos tendões, geralmente devido a trauma . O principal sintoma é a dor . Dependendo da gravidade, é tratado com anti-inflamatórios, compressas frias, repouso e depois a fisioterapia apropriada.
  • Sinovite : é a inflamação, devido a traumas ou infecções, da membrana sinovial . Produz mais líquidos, engrossa e incha, causando dor, calor (devido ao aumento do fluxo de sangue) e derramamento. É tratado com anti-inflamatórios, repouso, uso de bandas elásticas e, nos casos mais graves, o excesso de líquido sinovial é aspirado.

Finalmente, muitas outras patologias são caracterizadas por dores articulares como sintomas secundários. 
Por exemplo: hipotireoidismo , hepatite, lúpus, doença de Crohn, fibromialgia e câncer ósseo, só para citar alguns.

O desconforto comum – tratamento de soluções individuais. Condições das articulações, ligamentos, bem como tecidos musculares oboznachili o princípio geral da doença reumática. Esta doença pode se manifestar de várias maneiras. A forma mais comum de osteoartrite, inflamação das articulações, reumatismo, gota, artrite, reumatismo muscular. Na artrite osteo geralmente falamos sobre o desgaste das articulações desencadeadas pela idade em que as articulações incham um pouco e a tensão mal.

É possível recuperar as articulações

Recuperação de articulações difíceis usadas. Com uma condição contínua, contorção das articulações, restrição considerável de mobilidade e também consistente desconforto. Inflamação das articulações é a inflamação das articulações provocadas por germes ou deterioração. A inflamação aguda das articulações inicialmente é vista com mais frequência em febre alta com greves de alta temperatura, bem como desconforto severo nas articulações. O doente, o comum está em vermelho, enquanto o resto da pele é pálido, bem como muito inchado. Inflamação articular persistente inflamatória é causada por uma infecção, mas muitas vezes como resultado da deposição de sais nas articulações, que o corpo não consegue identificar.A superfície interna inflamada da junta produz uma quantidade excessiva de óleo, de modo que o tecido e até mesmo as juntas estão inflamadas e doloridas. Com o programa de condição, a membrana da camada interna, a articulação se expande e arruína a segurança da cartilagem do material de articulação. O município é deformado reforçado para garantir que a cadeira de rodas realmente limitada. O desconforto aumenta e se torna excruciante. Na última fase, há atrofia dos tecidos musculares.

Caso você esteja cansado de passar por essas dores conheça o produto chamado Regenemax. Ele vai acabar com as dores em poucos dias.

Como tomar sol de forma eficaz para produzir Vitamina D

Para produzir vitamina D de forma segura, deve-se tomar banho de sol por pelo menos 15 minutos por dia, sem usar protetor solar. Para pele morena ou negra, esse tempo deve ser de 45 minutos a 1 hora por dia, pois quanto mais escura a pele, mais difícil é a produção de vitamina D.

A vitamina D produzida na pele é a principal fonte dessa vitamina para o corpo, pois os alimentos ricos em vitamina D, como peixes e fígado, não fornecem a quantidade necessária diariamente desse nutriente. Saiba em que alimentos pode encontrar vitamina D.

Ficar exposto ao sol direto com roupas leves
Melhor horário para tomar sol
O melhor horário para tomar sol é quando a sombra do corpo é menor que a própria altura, pois a posição do sol também influencia na produção da vitamina D. Isso normalmente acontece depois das 10h da manhã e antes das 16:30h da tarde, mas deve-se evitar a exposição prolongada ao sol nos horários mais quentes do dia, entre as 12h e as 15h.

Para produzir adequadamente vitamina D, é necessário tomar sol durante pelo menos 15 minutos para peles claras e 45 minutos a 1 hora para peles escuras. O banho de sol deve ser feito ao ar livre, com o máximo de pele exposta e sem barreiras como vidros de carros ou protetor solar, para que os raios UVB atinjam diretamente a maior quantidade de pele possível.

Leia também: Terçol como tratar

Bebês e idosos também precisam tomar banho de sol diariamente para prevenir deficiências em vitamina D, no entanto, deve-se ter especial atenção com os idosos, pois eles precisam de pelo menos 20 minutos ao sol para produzir quantidades adequadas dessa vitamina.

O que acontece se tiver falta de vitamina D
As principais consequências da deficiência de vitamina D são:

Enfraquecimento dos ossos;
Osteoporose em adultos e idosos;
Osteomalácia em crianças;
Dor e fraqueza muscular;
Diminuição de cálcio e fósforo no sangue;
O diagnóstico de deficiência em vitamina D é feito através de um exame de sangue chamado 25(OH)D, onde os valores normais são maiores que 30 ng/ml. Saiba o que pode provocar falta de vitamina D.

Babosa possui ação hidratante e cicatrizante

Saiba como aproveitar os benefícios desta planta é aliada do cabelo e da pele

A babosa é o nome popular da Aloe Vera, uma planta também conhecida como Aloé Vera, Caraguatá, Erva babosa, Babosa de botica ou Babosa de jardim. O nome popular “babosa” se deve por sua característica gelatinosa (a baba). Encontram-se catalogadas mais de 200 espécies de Aloe. Originária do norte de África, a babosa é famosa por seus benefícios estéticos e fitoterápicos.

A babosa tem propriedades regeneradoras e funciona como um antioxidante natural. Vários estudos internacionais têm ampliado os conhecimentos científicos a respeito dos efeitos benéficos da babosa na saúde das pessoas. Entre eles ação anti-histamínica, anti-inflamatória e antioxidante. Ela pode também estimular a síntese de colágeno e é um vasoconstritor.

O gel da babosa tem resultados positivos para pesquisa clínica da psoríase e herpes simples. A cicatrização de ferimentos e de acne possui resultados misturados nas pesquisas clinicas e portanto não há comprovação científica isolada para estas entidades.

No Brasil, seu uso tem autorização somente em produtos cosméticos e em medicamentos fitoterápicos de uso tópico com a função cicatrizante. Por ser classificada na categoria de “novos alimentos”, a aloe vera precisa de registro junto a Anvisa para ser comercializada nos alimentos.

Nutrientes
As folhas são a melhor fonte dos metabílitos ativos da aloe vera. O gel é rico em resina de aloe, ditranol, crisarobina, alantoína, salicilatos, flavonoides e polissacarídeo. Todos estes são os princípios ativos que tem propriedade terapêutica.

Entenda como a babosa ajuda na hidratação – Foto: Getty Images
Nos últimos anos, centros de pesquisas e universidades de vários países têm estudado os segredos da babosa, identificando em seu gel (baba) componentes como: cálcio, magnésio, sódio, potássio, selênio e zinco; as vitaminas, A, B1, B2, B3, B5, B6 e C; mono e polissacarídeos incluindo Acemanana, que é imunoestimulante.

Benefícios em estudo da babosa
Ação hidratante: A seiva da babosa, encontrada em sua parte interna, tem poder acelerador e regenerativo das células da pele. Por isso, a planta é muito utilizada em cremes, loções e pomadas. Seus ativos potencializam a hidratação e a cicatrização.

Ação cicatrizante: O ingrediente ativo da babosa é a aloe vera, que tem reconhecidamente uma ação anti inflamatória, calmante e cicatrizante. Há produtos cosméticos e medicamentos fitoterápicos de uso tópico com a função cicatrizante. O ideal é que seja recomendado pelo médico. Cientificamente ainda não há a comprovação isolada da babosa como tendo ação cicatrizante.

Aliada do cabelo: A babosa é uma planta bastante conhecida por seus benefícios de hidratação para pele e cabelo, tanto que existe uma variedade enorme de produtos compostos a base de Aloe Vera, nome científico da planta babosa.

Saiba mais: Muito além da hidratação: conheça mais oito benefícios do hidratante facial

Leia também: vantagens da Babosa

Babosa contribui para a melhor cicatrização – Foto: Getty Images
A babosa possui dezoito aminoácidos essenciais à formação de proteínas, além de vitaminas A, C, E, B1, B2, B3, B6, B12 e B13 e ainda conta com mais de vinte minerais, tudo isso faz com que seja conhecida como a planta da saúde e beleza, pois seus benefícios vão além da questão estética. Devido ao poder hidratante, a babosa melhora a maciez e maleabilidade do cabelo. Existem muitos produtos industrializados, como shampoos e cremes com babosa em sua composição.

Boa contra a herpes: A herpes é uma doença viral geralmente benigna, causada pelos vírus Herpes simplex 1 e 2, que afeta principalmente a mucosa da boca ou região genital, mas pode ter graves complicações neurológicas. Não tem cura, mas alguns remédios podem ser utilizados para diminuir os sintomas. Há referências científicas de que o gel da babosa é antiviral contra herpes simples e varicela zoster. Contudo, não é orientado aplicar a planta caso tenha a doença, isto porque se a babosa for aplicada diretamente na pele pode causar irritação, piorando a lesão, e sua casca pode ser nociva para a saúde. O ideal é consultar o médico dermatologista.

Como consumir
A babosa tem sido muito utilizada para uso tópico, em cremes, loções, pomadas, sabonetes, shampoos, já que seus ativos contribuem para potencializar a hidratação e a cicatrização. No Brasil, produtos à base de Aloe vera de uso tópico estão autorizados como fitoterápico para cicatrização. No entanto, não há registro de medicamento a base de Aloe vera para uso oral.

Em outros países, a aloe vera tem sido empregada como suplemento indicado e vendido para tratamento de obesidade. Pela Legislação Brasileira, somente cosméticos e medicamentos fitoterápicos podem ser fabricados industrialmente com esta planta. Alimentos como suco e isotônico vendidos em outros países não têm sua produção autorizada no Brasil.

Não são recomendadas receitas caseiras para o consumo da babosa, pois a casca externa da babosa apresenta substâncias tóxicas quem podem desencadear sérios problemas de intoxicação estomacal.

Cuidados ao adquirir
Não utilize a planta natural, adquira apenas produtos à base de aloe vera autorizados pela ANVISA. Alimentos e bebidas ou qualquer outra forma de ingerir a aloe vera não são autorizados pela ANVISA. O uso da babosa deve ser tópico e em casos de hidratação e/ ou cicatrização. Siga a recomendação específica do produto sobre a aplicação.

Efeitos colaterais da babosa
Há relatos de diarreia, disfunção dos rins e dermatites devido à ingestão da babosa. O uso tópico da planta pode causar alergias, irritação e edema local. O informe técnico da ANVISA indica que as substâncias antraceno e antraquinona presentes na aloe vera são mutagênicas, ou seja, podem causar mutação nas células humanas. Segundo o documento, a aloe vera apresenta produtos de biotransformação potencialmente tóxicos. Assim não possuem efeitos somente imediatos e facilmente correlacionados com sua ingestão, mas também efeitos que se instalam em longo prazo e de forma assintomática, podendo levar a um quadro clínico severo, algumas vezes fatal.

Riscos do consumo em excesso da babosa
A babosa contém substâncias que podem alterar o funcionamento do sistema digestivo, se consumida em excesso.

Como funciona a dieta Low carb?

Entenda como funciona a restrição de carboidrato, de que forma o organismo reage e os benefícios e cuidados ao seguir a dieta low carb
8 OUT 2018 14h48 atualizado às 15h51
0COMENTÁRIOS
Você já ouviu falar que os alimentos fontes de carboidratos comprometem a perda de peso? Quando consumidos em excesso, é mesmo normal que os ponteiros da balança subam e, tendo isso em mente, algumas pessoas se tornaram adeptas da chamada dieta low carb. Mas, afinal, o que é isso? Como funciona a dieta low carb?

Como funciona a dieta Low carb? Conheça os benefícios e alimentos permitidos
Foto: Getty Images / Sport Life
Como funciona a dieta low carb?
Existem diversas variações desse processo, com diferentes restrições à quantidade e aos tipos de carboidratos permitidos durante o programa (como a dieta paleolítica, a mediterrânea e a de Atkins). Mas a regra geral é que o plano alimentar diário deve ter a proteína como nutriente principal.

Engana-se quem pensa que esse processo é responsável por eliminar de vez os alimentos fontes de carboidratos do cardápio. Na verdade, a ideia central é reduzir o consumo dessa substância, dando preferência aos ingredientes naturais e que apresentam baixo índice glicêmico, ou seja, aqueles cujo açúcar é absorvido em uma velocidade mais lenta e, por isso, não há picos de glicose e nem de insulina no organismo.

Leia também: E-book 101 Receitas Low Carb

Assim, o corpo é obrigado a utilizar a gordura como forma de obtenção de energia (em vez do açúcar derivado dos carboidratos), contribuindo para o emagrecimento. E não precisa ser radical, isto é, a redução de 10% da quantidade de carboidratos ingerida já é suficiente para conseguir atingir os objetivos da dieta.

Alimentos permitidos e proibidos na low carb
Depois de entender o funcionamento da low carb, chegou a hora de descobrir alguns alimentos que podem ser consumidos sem medo e outros que precisam ser controlados. Mas lembre-se de conversar com um nutricionista antes de alterar sua alimentação, pois é ele quem vai indicar o melhor cardápio para você!

Leia também: Kifina Anvisa

Foto: Reprodução / Sport Life
Alimentos permitidos

As proteínas permitidas são: carnes variadas, como de vaca, porco e galinha; todo tipo de peixe e frutos do mar;
Ovos;
Oleaginosas também estão liberadas, como nozes e sementes, como a de abóbora e girassol;
Laticínios como queijo, manteiga, creme de leite e iogurte, por exemplo também podem fazer parte do cardápio;
Gorduras boas e óleos saudáveis, como óleo de coco, manteiga, azeite de oliva e óleo de peixe podem ser ingeridos
Alimentos proibidos

Leia também: Phytophen Anvisa

Alimentos que contêm açúcar refinado encontrado em produtos como refrigerantes, sorvete e bolos;
Grãos fontes de glúten, como trigo, centeio e cevada;
Alimentos ricos em gordura trans;
Produtos light, pois pois costumam ser ricos em carboidratos;
Alimentos industrializados e processados também não podem fazer parte da dieta.
Benefícios da redução de carboidratos
Não é apenas a silhueta que sai ganhando com a adesão à low carb. Na verdade, o organismo inteiro é beneficiado. Confira os principais pontos positivos dessa dieta:

Leia também: Farinha seca barriga Anvisa

Mais saciedade
Quando a pessoa corta quantidades significativas de carboidratos, é normal que consuma mais gorduras boas e proteínas. Com isso, a sensação de fome fica reduzida, fator que contribui diretamente na perda de peso.

Diminui os níveis de triglicerídeos
Apesar do nome estranho, os triglicerídeos são moléculas de gordura e o nível deles no sangue indicam o risco de doenças cardíacas. Um dos principais causadores do aumento dessa substância é o consumo exagerado de carboidratos, principalmente na forma de frutose. Ou seja, ao aderir à low carb, é normal notar a redução dos índices de triglicerídeos, favorecendo a saúde do coração.

Melhora o colesterol
O colesterol é uma gordura que se encontra ligada a proteínas e que está presente na corrente sanguínea, atuando na cicatrização e em reservas energéticas, formando uma camada gordurosa. Dessas proteínas, as mais famosas são a LDL (colesterol ruim) e o HDL (colesterol bom).

Uma das melhores maneiras de aumentar o HDL é ingerindo alimentos fontes de gorduras boas, como azeite e salmão. Considerando que a low carb prioriza o consumo desse tipo de alimento, não é surpresa descobrir que os níveis de colesterol bom aumentam, protegendo o coração.

Controla a glicemia
Todos os alimentos fontes de carboidratos se transformam em glicose após ingeridos e aqueles do tipo simples (encontrados em pães, bolos, arroz ou macarrão) passam por essa transformação de forma muito rápida, o que faz a glicemia no sangue subir de uma vez só, exigindo mais da insulina. Com o tempo, o excesso de carboidratos pode, inclusive, facilitar o surgimento de diabetes. Então, reduzir seu consumo é benéfico para a saúde por controlar a glicemia.

Erros comuns na low carb
É comum ter dúvidas sobre os processos que prometem emagrecer e beneficiar a saúde. Por isso, selecionamos dois erros comuns que muitas pessoas cometem e que podem prejudicar o sucesso da low carb.

1. Excesso de proteínas: apesar das vantagens de consumir os alimentos fontes desse nutriente, quando ingeridos em quantidades exageradas, pode ocorrer um aumento da glicose no organismo. Isso porque quando o corpo tem mais proteínas do que precisa, alguns aminoácidos se transformam em glicose. Portanto, a low carb preza que o consumo dessa substância seja feita de forma moderada.

2. Medo de consumir gordura: existe a crença de que a gordura é extremamente prejudicial à saúde e que compromete a perda de peso. Entretanto, a história não é bem assim. Em uma dieta low carb, o corpo perde uma de suas fontes de energia: o carboidrato. Por isso, é necessário encontrar outras fontes para dar disposição e ânimo, papel desempenhado pela gordura. O segredo é escolher alimentos ricos em gorduras boas e fugir daqueles que carregam consigo as famosas gorduras trans.

JEJUM INTERMITENTE: COMO FAZER E POR QUE AJUDA A EMAGRECER?

Este é um assunto bastante polêmico, pois boa parte dos nutrólogos, nutricionistas e endocrinologistas são contra este protocolo de emagrecimento, já outros recomendam e dão dicas de como fazê-lo.

Independente se é certo ou não, é importante aprender tudo o que envolve essa prática, pois mais do que um protocolo de emagrecimento, o jejum intermitente é uma forma de desintoxicar não só o corpo, mas principalmente a mente que se livra de muitos vícios e hábitos difíceis de removê-los com dietas específicas.

Além disso, esse protocolo foi e continua sendo muito estudado, mesmo tendo evidências de que nossos ancestrais já o praticavam inconscientemente quando passavam por longos períodos de escassez de comida. A diferença, no entanto, é que naquela época não existiam farináceos, gorduras trans e industrializados.

Sendo assim, é importante ter a consciência de que para conseguir praticar jejum intermitente é necessário antes de tudo procurar a ajuda de um bom profissional atualizado, que vai te passar um plano alimentar com alimentos essenciais para serem consumidos antes e depois do período em que se estiver em jejum. De nada adianta tentar fazer jejum intermitente e nos intervalos em que se pode comer, abusar dos carboidratos refinados ou comer muito para tentar “compensar” o período de “escassez” de comida.

Por isso, vamos aprender o que é o jejum intermitente, quais os métodos, benefícios, como fazer e quais as contraindicações deste método.

Neste artigo vamos aprender:

Índice
O que é jejum intermitente?
Métodos e como fazer o jejum intermitente
Os Benefícios do jejum intermitente
Contraindicações do jejum intermitente
Conclusões

1. O que é jejum intermitente?
Jejum intermitente é um estilo de alimentação em que são alternados períodos sem comer, com períodos de alimentação, as chamadas “janelas de alimentação”. Não se trata de uma dieta, mas sim de uma estratégia nutricional na qual existem protocolos com períodos diferentes que variam de 12 a 24 horas de jejum, de acordo com a adaptação e a necessidade de cada um.

O jejum em si é uma prática comum em algumas religiões, onde é feito com o intuito de se alcançar alguma graça ou de reviver algum período bíblico, assim como é feito na Páscoa, Semana Santa e Quaresma, por exemplo. Nossos ancestrais praticavam jejum forçado, por viverem períodos de escassez de comida, diferente de nós que temos como ir ao mercado e estocar comida.

Naquela época, os períodos de jejum eram longos e o corpo foi se adaptando para conseguir sobreviver sem comida. Mas não só isso, podemos dizer que essa adaptação na verdade é uma evolução que traz muitos benefícios para o corpo. Isso porque, ao jejuar, os níveis hormonais são alterados para fazer com que a gordura acumulada passe a se tornar disponível para as células.

Além disso, estudos mostram que ao praticar o jejum intermitente, as células do corpo também passam por um processo de regeneração e expressão dos genes. Porém, o principal motivo pelo qual as pessoas têm buscado esse método é devido ao fato dele ajudar a emagrecer.

Isso acontece porque, quando acabamos de comer, o organismo transforma a glicose absorvida em energia, devido à ação da insulina. A energia que não é utilizada fica estocada no corpo em forma de gordura e quando o corpo precisa utilizar essa reserva, recorre ao glicogênio presente nos músculos e à gordura do tecido adiposo.

Para que o corpo consiga utilizar a gordura acumulada, são necessários alguns hormônios como a lipólise e o glucagon que servem para quebrar a gordura. Ao fazer jejum intermitente, esses hormônios ficam mais tempo no organismo, facilitando a perda de peso. Isso também faz com que os picos de insulina não ocorram, melhorando assim a resistência à insulina. Mas claro, desde que a janela de alimentação não seja recheada de carboidratos refinados e afins.

2. Métodos e como fazer o jejum intermitente
Dentre os métodos mais comuns para praticar o jejum intermitente, os mais conhecidos são:

JEJUM DE 12 HORAS

Este método acaba sendo um método mais “natural” e comum de fazer, pois consiste em passar metade do dia sem comer, ou seja, se a pessoa fizer sua última refeição às 20h e for dormir, poderá tomar um café-da-manhã às 8h e será considerado jejum. O importante é que na outra metade do dia a qualidade dos alimentos ingeridos seja realmente boa, com alimentos ricos em fibras, nutrientes e proteínas para suprir a ausência no período de jejum.

PROTOCOLO LEANGAINS OU MÉTODO 16/8

Método criado pelo sueco Martin Berkhan que consiste em um período de jejum de 16 horas para 8 horas de alimentação. No caso das mulheres, 14 horas de jejum para 10 horas de alimentação, pois devido à menor quantidade de músculos, as mulheres suportam um tempo menor de jejum do que os homens.

Dentro do período de alimentação, é permitido fazer de 2 a 3 refeições, optando por alimentos saudáveis, ricos em fibras e minerais. Já no período de jejum, é permitido ingerir bebidas não calóricas, como por exemplo, café, chá e água. O café-da-manhã deve ser pulado, ou seja, o ideal é que a pessoa faça sua última refeição às 20h, por exemplo, e volte a se alimentar às 12h.

PROTOCOLO EAT-STOP-EAT

Este método foi propagado por Brad Pilon e é um dos mais populares há alguns anos. Envolve um jejum de 24 horas, feito de duas a três vezes por semana, onde é feita uma refeição principal num dia, por exemplo almoço, e volta a se alimentar no almoço do dia seguinte, passando 24 horas em jejum. Durante esse período também é permitido ingerir bebidas não calóricas (café, chá e água), não é permitido consumir nenhum alimento sólido.

Se não quiser fazer no almoço, pode-se fazer com o jantar ou o café-da-manhã, lembrando que a próxima refeição sólida será após 24 horas, ou seja, o jantar ou café-da-manhã. Após o período de 24 horas, deve alimentar-se normalmente, sem exageros e sem querer compensar o período de jejum. No começo, a adaptação é difícil, por isso recomenda-se começar com poucas horas, 12 por exemplo, e depois aumentar conforme necessidade e adaptação.

A DIETA 5:2

Apesar do jejum intermitente não ser considerado uma dieta, existe esse método, popularizado pelo médico britânico Michael Mosley, em que é permitido comer durante 5 dias e nos outros 2 restringe a quantidade de calorias para no máximo 500 calorias para as mulheres e 600 calorias para os homens. Sendo assim, a quantidade de refeições é reduzida para duas de 250 calorias (mulheres) e duas de 300 (homens) nesses dois dias de restrição.

O problema dessa dieta é que não existe comprovação e ela é criticada pelo fato de não ser considerada um jejum, pois dessa forma o corpo não fica em estado de jejum. A única vantagem é o fato de se consumir menos calorias nesse método, o que faz com que algumas pessoas consigam emagrecer.

3. Os Benefícios do jejum intermitente
Muitos estudos e pesquisas são realizados sobre o jejum intermitente, mas ele pode funcionar de maneiras diferentes para cada um, inclusive os benefícios e efeitos colaterais são sentidos ou não por determinadas pessoas.

Dentre os benefícios comprovados com a prática do jejum intermitente, podemos listar:

Emagrecimento – Ao praticar o jejum intermitente, menos refeições são realizadas, o que faz com que o consumo de calorias seja reduzido. Além disso, os níveis hormonais são alterados facilitando a queima de gordura, principalmente por causa da liberação da noradrenalina, outro hormônio muito importante na queima de gordura.
Redução dos níveis de insulina e glicemia – A sensibilidade à insulina melhora e, consequentemente, os níveis de insulina no sangue caem.
Redução gordura abdominal – O jejum intermitente também acelera o metabolismo, potencializa a queima de gordura visceral (barriga) e causa menos perda de massa magra do que outros métodos tradicionais.
Maior concentração do hormônio do crescimento (GH) – Os níveis desse hormônio atingem um pico 5 vezes maior, fazendo com que haja maior queima de gordura e ganho de massa muscular.
Efeito cardioprotetor – Devido à redução do colesterol LDL, triglicerídeos, glicose e controle da pressão arterial.
Redução de Inflamações – O que também ajuda a reduzir o risco de obesidade, diabetes tipo 2 e doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson.
Prevenção do câncer – Em jejum, o corpo inicia processo de reparo celular (autofagia), em que as células dirigem e removem proteínas velhas e disfuncionais que podem levar ao surgimento do câncer.
Aumento da expectativa de vida – Devido à incidência de mudanças nas funções dos genes ligados à longevidade e proteção contra doenças.

4. Contraindicações do jejum intermitente
O processo de adaptação do jejum intermitente é um pouco complicado, pois além de sentir muita fome, pode ocorrer dores de cabeça e fraqueza, até mesmo devido à troca de alguns alimentos, como por exemplo o café preto. Muitas pessoas ficam com dor de cabeça se não tomarem café, mas na verdade isso é apenas no começo. Depois o corpo deve se acostumar e as dores devem desaparecer.

Mesmo com todos os benefícios do jejum intermitente, ele não é indicado para alguns casos, como por exemplo:

Crianças – Pois não faz sentido privar uma criança de alimentos e nutrientes que, em sua falta, poderão atrapalhar o seu desenvolvimento.
Adolescentes – Devido à verdadeira revolução hormonal que ocorre nessa fase e por ser perigoso virar algum distúrbio alimentar, como anorexia e bulimia, doenças muito comuns na fase da adolescência.
Pessoas que têm ou tiveram anorexia e/ou bulimia – Pelo mesmo motivo de ser contraindicado para os adolescentes.
Mulheres grávidas ou em período de amamentação – Pois são fases em que exigem muito do corpo da mulher e pode prejudicar o desenvolvimento do bebê.
Pessoas com doenças crônicas – Devido às mudanças no metabolismo causadas pelos medicamentos para tratar diabetes e hipertensão, por exemplo, que podem levar à hipoglicemia. Se essas pessoas resolvem fazer jejum intermitente, o caso pode se agravar, uma vez que este diminui a liberação de insulina no organismo.

Leia também: o que é Jejum Intermitente

5. Conclusões
O jejum intermitente é sim um método muito eficaz de emagrecimento e melhora da saúde, mas antes de escolher qualquer dieta ou método de emagrecimento, procure um médico que irá realizar os devidos exames e poderá aconselhar qual o melhor protocolo para cada caso.

Leia também: Farinha seca barriga reclame aqui

Além disso, ele fará o acompanhamento necessário para que você não fique desnutrido ou tenha algum outro risco por deixar de se alimentar como está acostumado.

Muitas pessoas resolvem praticar jejum intermitente por conta própria e, quando alguma coisa dá errado, recorrem ao médico que, com toda razão irá criticar esse método, mas na verdade o problema todo foi causado pela pessoa que não buscou a orientação correta.

Leia também: Kifina reclame aqui

Outra recomendação importante, uma vez que tenha escolhido este método é, tenha disciplina e NÃO SE SABOTE! Isso porque muitas pessoas até fazem o acompanhamento médico corretamente, mas quando entram na janela de alimentação, acabam cometendo alguns deslizes de comer alimentos que não são tão saudáveis e atrapalham o processo de adaptação dos períodos de jejum.

Leia também: Phytophen reclame aqui

Esperamos ter ajudado com essas dicas e informações e, se tiver vontade de praticar qualquer um dos protocolos aqui mencionados, não deixe de agendar uma boa e completa consulta com o seu médico!

Remédio para emagrecer

Todo mundo sabe que emagrecer não é nada fácil, por isso, a cada dia, surgem mais dietas, e cada uma mais restritiva ou bizarra que a outra, impossíveis de serem seguidas por muito tempo, o que resulta na volta dos pesos perdidos, pouco tempo após terminar a dieta.

Em função disso, vem crescendo a procura por cirurgias bariátricas, geralmente, um recurso utilizado após tentativas fracassadas de tratamentos de todos os tipos.

Mas, antes de se submeter à cirurgia, os remédios ainda são vistos como uma opção menos invasiva e, portanto, que oferece menos riscos, o que, vale saber, não é bem assim, já que alguns medicamentos causam muitos danos á saúde, de uma forma geral, muitas vezes, desencadeando sérios problemas.

Por isso, quem opta em resolver problemas de sobrepeso com remédios, deve saber que não é a opção mais saudável e que mesmo os mais potentes não garantem uma perda de peso eficaz.

Geralmente, remédios atuam inibindo o apetite, com isso, a massa muscular sofre perda e o metabolismo fica completamente desregulado, resultando na volta do peso em pouquíssimo tempo, prejudicando a saúde por completo.

E mais, é preciso muita cautela ao se submeter a tratamentos com remédios, pois, muitos são proibidos pela agência de saúde. Por isso, se essa for sua opção, é fundamental que tenha o acompanhamento médico.

É preciso estar ciente de que os remédios para emagrecer costumam causar efeitos sérios e precisam ser tomados com muito cuidado.

Preparamos abaixo uma lista com os remédios mais conhecidos, como eles agem, para quem são indicados e quais seus efeitos colaterais, confira:

Sibutramina
Um dos remédios para emagrecer mais conhecidos, a Sibutramina é o primeiro da lista, e age sobre alguns neurotransmissores, como serotonina, noradrenalina e dopamina, e dessa forma, consegue reduzir o apetite. Ele tem a venda liberada, porém, só com prescrição médica.

A Sibutramina é muito indicada, principalmente, para aqueles pacientes com IMC maior que 30, quando dieta e exercícios não conseguem fazer efeito.

Efeitos colaterais
Como já foi dito, esse tipo de medicamento costuma ter efeitos colaterais, e no caso da Sibutramina, é contraindicada para quem tem hipertensão, diabetes ou risco aumentado de doenças cardiovasculares, pois pode apresentar os seguintes efeitos colaterais:

Boca seca
Constipação
Dor de cabeça
Insônia.
Vale ressaltar que também são observadas alterações de humor, que, apesar de muito comum, devem ser relatadas ao médico.

Orlislat
Outro medicamento muito usado em tratamentos para emagrecer é Orlislat, porém, ele não atua diretamente na fome, saciedade ou outros mecanismos metabólicos, na verdade, ele age na absorção de gordura, inibindo que 30% dela seja assimilada pelo corpo, sendo eliminada em maior quantidade nas fezes.

Por isso, ele costuma ser mais usado como um complemento de outros tipos de remédios para emagrecer.

Geralmente, orlislat é recomendado para pessoas que ingerem muita gordura e têm dificuldades em cortá-la da alimentação.

Efeitos colaterais
Ao tomar esse medicamento é preciso se preparar para possíveis diarreias, principalmente, quem costuma ingerir muita gordura, causando um certo desconforto.

Saxenda
Devidamente aprovado pela Anvisa, o Saxenda é um remédio para emagrecer quem tem a liraglutina como princípio ativo, o mesmo do remédio Victoza, usado para tratar o diabetes. Na verdade, após alguns tratamentos, se descobriu que além de melhorar a glicose no sangue, reduz a sensação de fome.

Por isso, ao contrário dos outros medicamentos de uso oral, o saxenda deve ser injetado sob a pele.

Saxenda deve ser utilizado em conjunto com dieta e atividade física, sendo recomendado para adultos com índice de massa corporal acima de 30 kg/m2, ou IMC acima de 27 kg/m2, com alguma condição relacionada ao excesso do peso, como hipertensão, diabetes tipo 2 ou alterações de colesterol.

Foi observado que o medicamento funciona melhor em pessoas com problemas metabólicos, já que ele também preserva o pâncreas.

Uma grande vantagem de utilizar Saxenda para emagrecer é o fato dele não afetar o humor do paciente, como a maioria dos remédios para emagrecer.

Efeitos colaterais
Vale saber que o uso de Saxenda pode causar o desenvolvimento de pancreatite, cálculos em vesícula biliar e risco de hipoglicemia, este último em pacientes com diabetes tipo 2. Portanto, seu uso deve ser muito criterioso.

Fluoxetina
Já, o remédio fluoxetina é mais indicado para quando o excesso de peso está associado à ansiedade, já que o medicamento age controlando a ansiedade, a fim de reduzir a compulsão alimentar.

No caso, o uso desse medicamento serve mais como um coadjuvante na perda de peso, sendo mais indicado para pessoas que possuem obesidade associada à depressão, ou então em casos de obesidade relacionados a uma condição médica chamada Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).

Fluoxetina é indicado para pacientes com IMC maior ou igual a 30 e um diagnóstico de depressão ou TAG feito por um psiquiatra.

Efeitos colaterais
Como possíveis efeitos colaterais da fluoxetina, podemos citar:

Cansaço (fadiga)
Diarreia
Dor de cabeça
Insônia
Náusea
Vale saber que, de acordo com estudos, após 6 meses de uso, a modesta perda de peso obtida inicialmente com o uso de fluoxetina, aos poucos, vai se perdendo.

Bupropiona
A Bupropiona é um antidepressivo mais indicado para o emagrecimento do que a fluoxetina, já que ajuda a reduzir a compulsão.

Geralmente, seu uso é indicado para aqueles pacientes que apresentam algum quadro psiquiátrico, como depressão ou compulsão alimentar, e só deve ser uma opção, quando a dieta e os exercícios físicos sozinhos não forem eficazes para o emagrecimento.

Efeitos colaterais
Por causar insônia, boca seca, cefaleia e, até mesmo, poder causar convulsões, taquicardia, hipertensão, urticária e manchas na pele, o tratamento com esse medicamento só deve ser feito com acompanhamento médico.

Anfetaminas (Anfepramona, Femproporex e Mazindol)
As anfetaminas, como Anfepramona, Femproporex e Mazindol, são uma classe de medicamentos chamados de anorexígenos, pois agem diretamente reduzindo o apetite.

Embora sejam medicamentos proibidos por aqui, já existe uma sanção aguardando aprovação do presidente do Brasil, para que medicamentos derivados dessas substâncias voltem a ser comercializados.

O uso desses medicamentos é muito polêmico, justamente, por inibir, a fome quase que completamente.

Efeitos colaterais
Como qualquer remédio para emagrecer, eles só fazem efeito durante o tratamento, ou seja, não melhoram o metabolismo do paciente e nem promove educação alimentar, o que quer dizer que, após o tratamento, os quilos perdidos, retornam, e com força total.

O pior é que, podem trazer sérias alterações comportamentais, como ansiedade, irritabilidade, insônia, tremores e depressão.

Quando usar remédios para emagrecer?
Como já foi dito, remédios costumam fazer efeito só durante o tratamento, não promovendo mudanças de hábitos e nem uma reeducação alimentar, que são as únicas atitudes que, realmente, vão garantir a perda de peso definitiva.

Remédios, portanto, nunca devem ser a primeira opção para o emagrecimento, tanto por não serem uma solução definitiva, quanto por seus inúmeros efeitos colaterais.

O ideal é que o paciente aposte em novos hábitos, mude os que estiverem errados, aposte em uma alimentação equilibrada e pratique atividades físicas, caso não veja resultado, aí, então, a dica é procurar ajuda especializada, que irá apontar o melhor tratamento para perder peso de uma forma saudável.

Remédios e cirurgias, na verdade, devem ser opção para pessoas que, de outras formas, não conseguem chegar ao peso ideal, por exemplo, pessoas com IMC acima de 30, ou pessoas com IMC acima de 27 e doenças metabólicas, aí sim, nesses casos, os efeitos colaterais dos medicamentos não irão superar os benefícios possíveis.

Remédios naturais para emagrecer
Mas, quem prefere apostar em opções naturais, nesse caso, já existem no mercado algumas soluções que fazem muito sucesso entre as pessoas que vivem fazendo dieta. Confira algumas:

Leia também: Kifina é bom

Quitosana: substância extraída do exoesqueleto de insetos ou crustáceos, ela age como uma fibra, promovendo saciedade. Além disso, estudos feitos em animais mostraram que a quitosana pode interferir muito na digestão e absorção de gorduras pelo trato intestinal, facilitando a excreção destas gorduras nas fezes dos animais. Porém, não há estudos que comprovem seus benefícios diretamente no emagrecimento em seres humanos.

Goji berry: atual queridinho de quem vive em briga com a balança, alguns estudos, realmente, comprovam, que o goji berry consumido em suco pode ajudar a emagrecer, já que pessoas com baixo consumo de vitamina C podem ser mais resistentes a perder massa gorda. No entanto, ele precisa ser aliado a uma alimentação equilibrada.

Leia também: Phytophen é bom

Konjac: raiz famosa por suas propriedades emagrecedoras, porém, também não há comprovação científica sobre sua eficácia em seres humanos.

Leia também: melhor Remédio caseiro para emagrecer Anvisa

Faseolamina: substância presente no feijão branco cru, reduz a absorção dos carboidratos. Porém, é preciso muita cautela ao consumir esse alimento cru, pois em excesso pode fazer mal à saúde.

Leia também: Farinha seca barriga é bom

Remédios caseiros para emagrecer funcionam?
Remédios caseiros, na verdade, podem ser ótimos aliados das dietas, como um complemento, dentre as opções caseiras, listaremos algumas abaixo:

Chás diuréticos: são ótimos para reduzir a retenção de líquido do corpo, o que ajuda a reduzir poucos quilos na balança. No entanto, chás diuréticos com outras propriedades emagrecedoras, como o chá de hibisco, podem ser interessantes, desde que também sejam aliados a uma dieta mais saudável, e o chá verde, o qual estudos apontam que umas das catequinas presentes nesse chá, a epigalocatequina galato (EGCG), estimula diversas enzimas que controlam o metabolismo das gorduras, incentivando a quebra delas, promovendo o emagrecimento.

Água com berinjela: não tem estudos que comprovem seu benefício na perda de peso, ou que os nutrientes do vegetal sejam passados para a água. A dica é aproveitar os benefícios da berinjela in natura, consumindo-a refogada ou grelhada.

Água com gengibre: Devido ao afeito termogênico, o gengibre na pode, sim, ajudar no emagrecimento, mas, claro, se aliado a uma dieta balanceada e com menos calorias.

Considerações
Enfim, como já foi dito, emagrecer requer mudança de hábitos e uma alimentação equilibrada, só dessa forma se irá garantir que o peso adquirido após a dieta seja mantido.

Jamais confie ou siga dietas restritivas, elas não promovem perda de peso permanente, já que são impossíveis de serem seguidas por toda a vida, além de colocarem a saúde em risco.

Se está com dificuldade em emagrecer, então, procure um especialista, que vai poder lhe orientar para o melhor tratamento.

Apenas quando essas atitudes não surtirem efeitos é que se deve apelar para soluções mais radicais, como tratamentos à base de remédios ou cirurgias, sempre com acompanhamento médico.

Chá Para Emagrecer – 15 Melhores, Como Tomar e Dicas em Alimentos Para Dieta

Um chá sempre é uma boa pedida para aqueles dias frios, para aliviar uma dor de garganta ou simplesmente para relaxar. Porém, existem vários tipos de chás que podem te ajudar até na luta contra a balança. Vamos conhecer os tipos de chá para emagrecer e expor seus benefícios abaixo.

1. Chá Verde
O chá verde é provavelmente o melhor chá para perder peso porque acelera o metabolismo. Pesquisas mostram que substâncias encontradas no chá verde são responsáveis por acelerar o metabolismo e ajudar na perda de peso. Tomando chá verde diariamente, é possível queimar até 70 calorias por dia.

De acordo com 17 estudos clínicos, o chá verde está relacionado a níveis mais baixos de açúcar no sangue. Além disso, ele tem poder antioxidante. A catequina presente neste chá emagrecedor é um antioxidante que acelera o metabolismo e ajuda a queimar gordura. É importante atentar para a fonte do chá – sempre prefira as fontes orgânicas, pois essas contém níveis menores de sódio.

Em um estudo que durou 12 semanas, os participantes tomaram de 4 a 5 xícaras de chá verde por dia e praticaram 25 minutos de exercícios físicos por dia. Quando comparados com os participantes que não tomaram o chá, foi observado que os que o consumiram perderam mais peso do que os demais. Isso ocorre devido à presença da catequina, uma substância que quebra o tecido adiposo desencadeando a liberação de gordura das células de gordura. Logo em seguida, com o metabolismo acelerado pela mesma substância, o fígado tem sua capacidade aumentada de transformar essa gordura quebrada em energia. Assim, o indivíduo perde peso mais facilmente.

Como tomar: ferva a água e coloque 1 colher de sopa para cada litro de chá. Desligue o fogo e deixe o chá em infusão por 10 minutos. Suas propriedades são preservadas por ate 24h se armazenado na geladeira.

Veja mais: Como fazer chá verde para melhores resultados.
2. Chá Oolong
O chá de oolong tem origem na China, onde oolong significa “dragão preto”. É um chá leve e floral que, assim como o chá verde, contém catequinas que ajudam a promover a perda de peso através do aumento da capacidade do corpo de metabolizar a gordura.

Um estudo do Chinese Journal of Integrative Medicine descobriu que os participantes que tomaram este chá regularmente perderam cerca de 3 kg em 6 semanas.

Outras pesquisas mostram que esse chá tem um efeito mais forte que o chá verde, podendo promover uma queima de gordura até 157% mais eficaz. Além disso, o chá oolong é antioxidante, acelera o metabolismo, queima e bloqueia a absorção de gordura, é bom para diabetes tipo 2, doenças cardíacas, reduz a pressão arterial, previne deterioração dos dentes e melhora pele.

ARTIGOS COMPLEMENTARES
15 Opções de Chá Natural para Emagrecer
A Bebida que Você Deve Tomar Toda Manhã para Perder Peso
Chá para Perder Barriga – 10 Melhores, Como Fazer e Dicas para Emagrecer
4 Bebidas Anti-Inflamatórias para Acelerar seu Metabolismo
Algumas pesquisas concluíram também que o chá oolong reduz o colesterol e aumenta os níveis da adiponectina que previne a obesidade.

Como tomar: faça uma infusão do chá oolong de 30 segundos a 5 minutos, para uma xícara mais forte.

Veja mais: Chá oolong emagrece? Dicas e benefícios.
3. Chá Branco
O chá branco é ótimo para reduzir a exposição ao fluoreto que está presente em outros chás para emagrecer. Ele é também mais eficaz que o chá verde no combate a germes. Além disso, apresenta efeito antibacteriano, antiviral e antifúngico e é rico em antioxidantes.

Um estudo publicado na revista Nutrição e Metabolismo mostrou que o chá branco pode simultaneamente impulsionar a degradação de gordura e bloquear a formação de novas células gordurosas devido a substâncias presentes em sua composição que são ativas nas células de gordura humana.

Como tomar: aqueça a água e antes de surgirem as primeiras bolhas, apague o fogo. Acrescente a erva e abafe por cinco minutos.

Veja mais: Chá branco emagrece? Mais que o chá verde? Como preparar?
4. Chá Rooibos ou Chá Vermelho
O chá rooibos é um ótimo chá para emagrecer feito a partir de uma planta cultivada na África do Sul. Ele é eficaz para a perda de gordura devido à presença de um flavonóide chamado aspalatina. Pesquisas mostram que esse composto é capaz de reduzir os hormônios do estresse que desencadeiam fome e o acúmulo de gordura.

Desta forma, ele ajuda a regular os hormônios de armazenamento da gordura que estão relacionados a casos de doenças como hipertensão, síndrome metabólica, doenças cardiovasculares, resistência à insulina e diabetes tipo 2.

Como tomar: faça uma infusão desse chá e tome antes das refeições.

Veja mais: Chá rooibos emagrece? Benefícios e dicas.
5. Chá de hibisco
De acordo com numerosos estudos, os flavonóides e outros compostos encontrados na planta de hibisco ajudam a neutralizar o inchaço influenciando a forma como a aldosterona, o hormônio que regula o equilíbrio de água e eletrólitos, afeta o corpo. Assim, este chá para perder peso reduz o inchaço na região abdominal e ajuda na perda de peso.

Como tomar: aqueça a água até começar a ferver, acrescente o hibisco seco e desligue o fogo. Deixe em infusão por até 10 minutos. O chá pode ser consumido quente ou gelado durante o dia.

Veja mais: Chá de hibisco – Para que serve, benefícios, como tomar e propriedades.
6. Chá de Kola Nut
Com uma contagem de cafeína maior do que o café, esse chá emagrecedor acelera seu metabolismo.

Em um estudo publicado na revista Physiology & Behavior, um aumento de 3 a 4% na taxa metabólica foi medido em indivíduos magros e obesos após uma única dose de 100 mg de cafeína presente na kola nut.

Como tomar: prepare uma infusão com até 2 colheres de chá por dia. Não tome em excesso devido a alta quantidade de cafeína presente.

7. Chá de gengibre
O gengibre não é só uma das especiarias mais saudáveis ​​do planeta, mas também combate a inflamação. De acordo com numerosos estudos, o gengibre, tradicionalmente usado para aliviar a dor estomacal, bloqueia vários genes e enzimas no corpo que promovem a inflamação causadora de inchaço.

Para melhorar o sabor, é possível adicionar cravo e canela ao chá.

Como tomar: lave bem e corte ou rale o gengibre. Espere a água ferver e adicione o gengibre. Tampe a panela, reduza o fogo e deixe aquecer de 8 a 10 minutos.

Veja mais: Como usar o chá de gengibre para perder peso.
8. Chá de Ashwagandha
O estresse é um fator que interfere negativamente na perda de peso. Um estudo recente em Penn State descobriu que as pessoas que reagem mal a situações estressantes aumentaram os níveis de inflamação em seus corpos e a inflamação está diretamente ligada à obesidade, bem como ao desenvolvimento de doenças como diabetes, doenças cardíacas e câncer.

Quando uma pessoa está ansiosa ou estressada, os hormônios do estresse como o cortisol, conhecido como “hormônio da gordura da barriga”, ganham força. Esse hormônio é capaz de extrair os lipídios (gordura) presentes na corrente sanguínea e armazená-los formando células de gordura.

O chá de ashwagandha reduz os hormônios do estresse que pode te prejudicar se você quer emagrecer. Um estudo publicado no Indian Journal of Psychological Medicine descobriu que o extrato da raiz de ashwagandha melhora de forma segura e eficaz a resistência de um indivíduo para o estresse e melhora a qualidade de vida.

Como tomar: esquente a água até ferver, em seguida desligue o fogo e coloque a raíz ou folhas da planta e deixe em infusão por até 10 minutos.

Veja mais: Chá de Ashwagandha – O que é, como tomar, efeitos colaterais e qual comprar.
9. Chá de Erva Mate
A erva mate é cultivada e tomada aqui na América do Sul como medicamento há séculos. Há estudos que indicam que ela combate doenças, inclusive o câncer.

Algumas das enzimas antioxidantes mais importantes no corpo são induzidas pelo mate. Essa erva é rica em polifenóis e mostra uma grande atividade antioxidante. Pessoas que bebem chá mate experimentam um aumento significativo de uma enzima que promove o colesterol HDL (bom).

Como tomar: esse chá para emagrecer pode ser tomado antes ou após as refeições, mas não exagere devido à grande quantidade de cafeína.

Veja mais: Chá mate emagrece mesmo?
10. Matcha
Este chá contém o mesmo componente presente no chá verde, porém em quantidades bem mais significativas.

Estudos mostraram que ele pode simultaneamente impulsionar a lipólise (a quebra da gordura) e bloquear a adipogênese (a formação de células de gordura), particularmente na região da barriga.

Como tomar: este chá deve ser preparado cuidadosamente para não empelotar. O pó deve ser adicionado à água quase fervente (de 70 a 80 graus). O chá não deve ser filtrado pois o pó se acumula no fundo do recipiente e deve ser ingerido imediatamente.

Veja mais: Matcha emagrece? O que é, benefícios, onde comprar e como tomar.
11. Chá Feiyan
O chá feiyan é uma infusão preparada com plantas medicinais que contêm componentes eficazes para reduzir o acúmulo de gordura. O consumo regular desse chá para emagrecer ajuda a melhorar seu metabolismo, reduzir o inchaço, diminuir o apetite, desintoxicar o corpo e se livrar do excesso de gordura. Esse chá não contém aditivos químicos e é seguro para consumo regular sem efeitos colaterais.

Esse é um dos chás para emagrecedor com resultados mais rápidos. Isso porque um dos primeiros resultados aparentes de uma desintoxicação é justamente a perda da barriga. Um mês de administração desse chá mostrou resultados de 2 a 4 quilos de redução no peso.

Como tomar: faça uma infusão com a planta e tome várias vezes ao dia.

12. Chá de Goji
A planta a partir da qual os gojis são colhidos é uma terapia medicinal asiática tradicional para diabetes, que também apresenta um efeito de emagrecimento. Em um estudo publicado no Journal of the American College of Nutrition, os participantes receberam uma única dose de chá de goji ou um placebo após uma refeição. Os pesquisadores descobriram que uma hora após a dose, o grupo que consumiu goji estava queimando calorias a uma taxa 10% maior do que o grupo placebo e tais efeitos duraram até quatro horas.

A maioria dos chás de goji são misturados com chá verde, aumentando ainda mais sua queima de calorias.

Veja mais: Como fazer chá de goji berry – Receita, benefícios e dicas.

Como preparar: ferva a água e adicione goji. Desligue o fogo e deixe em infusão por até 10 minutos.

13. Chá de Bérberis ou Barberry
O caule, a fruta e a casca de raízes dessa planta contêm berberina, uma substância química poderosa. Um estudo realizado por pesquisadores chineses revelou que a berberina pode prevenir o ganho de peso e o desenvolvimento da resistência à insulina em ratos que consumiam uma dieta rica em gordura.

Estudos anteriores também descobriram que consumir o chá pode aumentar o gasto de energia e ajudar a diminuir o número de receptores na superfície das células de gordura, tornando-os menos propensos a absorver a gordura ingerida.

Como tomar: ferva a água, adicione uma colher de folhas de barberry e deixe ferver por mais 15 minutos.

14. Chá de Kava Kava
Kava Kava ajuda na luta contra a ansiedade, que interfere negativamente na perda de peso.

Em um estudo, 120 mg de kava kava foram administrados diariamente ao longo de 6 semanas para pacientes com insônia induzida pelo estresse. Os resultados sugeriram uma melhoria estatisticamente significativa na qualidade do sono.

Outro estudo recente publicado no Journal Eating and Weight Disorders colocou a ansiedade como um dos fatores mais importantes associados ao ganho de peso. Isso porque foi verificado que até dois terços das pessoas com distúrbios alimentares também sofrem de ansiedade.

Em doses muito altas, o kava kava pode causar toxicidade hepática e prejudicar o funcionamento do fígado. Assim, tome o chá com moderação e os benefícios serão muito agradáveis.

Como tomar: este chá para emagrecer é preparado a partir da raíz ou do pó preparado a partir da raíz. Ferva a água, adicione a kava kava e deixe em infusão por alguns minutos. Retire a raíz antes de ingerir.

Veja mais: Kava kava emagrece? Para que serve e efeitos colaterais.
15. Chá de Porangaba
A planta de onde esse chá é obtido produz frutos vermelhos parecidos com grãos de café. Essas plantas são nativas da América do Sul e são encontradas no Brasil.

O chá de porangaba contém substâncias como cafeína, alantoína, ácido alantóico e potássio, que ajudam na perda de peso. Esse chá é conhecido por promover a perda de peso, redução de apetite além de sua ação diurética e redução de acúmulos de gordura e celulite.

Como tomar: a dose recomendada para perda de peso é de 1 porção de chá 30 minutos antes de cada refeição para reduzir o apetite.

Até agora, vimos os 15 chás para emagrecer mais utilizados. A seguir, veremos outros 9 chás que também têm um impacto positivo e podem fazer parte da sua dieta:

16. Chá de Puer
Na China, ele é conhecido como um chá medicinal, mas aparentemente também é bom para curar ressaca. O chá puer melhora o metabolismo, diminui a pressão arterial e o colesterol, melhora a digestão e desintoxica o corpo.

Como tomar: é recomendado o consumo de até 4 xícaras de chá por dia.

17. Chá de Anis Estrelado
Anis estrelado é o fruto de uma pequena árvore verde nativa da China que pode ser usado no tratamento de problemas digestivos como diarréia e náusea. É um dos melhores chás para emagrecer e perder a barriga, já que alguns problemas de digestão podem ser os responsáveis por uma barriga saliente.

Como tomar: esse chá é preparado colocando uma vagem inteira do fruto em uma xícara de água quente por cerca de 10 minutos.

18. Chá de Rosas
Um dos chás mais antigos disponíveis, o chá de rosas é feito com uma mistura de pétalas e brotos de rosas e tem um grande efeito terapêutico no corpo humano. É também um ótimo chá para emagrecer devido ao fato de agir contra a prisão de ventre, que acaba te deixando um pouco inchado na região abdominal e atrapalha a perda de peso.

Além de eliminar toxinas e deixar a pele mais bonita, o chá de rosas contém vitaminas A, B3, C, D e E e é conhecido por agir contra infecções.

Como tomar: lave bem as pétalas e brotos da rosa e leve ao fogo com água. Ao ferver, desligue o fogo e deixe em infusão por 5 minutos.

Leia também: Phytophen reclame aqui

19. Chá de Limão
O chá de limão pode ajudar a combater o inchaço devido ao seu conteúdo de d-limoneno. O composto, que é encontrado no óleo da casca cítrica, tem sido usado por seus efeitos diuréticos desde a antiguidade.

Até recentemente, não haviam descobertas científicas que provassem isso, mas um estudo em animais publicado no Journal of the Pharmaceutical Society of Japan confirmou que o d-limoneno pode realmente prevenir a retenção de líquidos.

Leia também: chá de Kombucha

Como tomar: Lave bem as cascas do limão e coloque em água para aquecer. Desligue após a fervura. É possível adicionar um pouco de mel para ficar mais gostoso e consumir uma vez ao dia.

Veja mais: Como fazer chá de limão – Receita e dicas.
20. Chá de Valeriana
A insônia é uma grande vilã contra a perda de peso. Isso porque ela pode impactar negativamente o hormônio regulador do apetite. O sono de qualidade, por outro lado, alimenta a produção de hormônios de queima de gordura, tornando-se uma prioridade máxima se você estiver tentando perder alguns quilos.

Leia também: Kifina Anvisa

A valeriana é uma erva que é considerada como um sedativo suave. Em um estudo com mulheres, pesquisadores deram a metade delas um extrato de valeriana enquanto o restante tomou um placebo. Cerca de 35% das pessoas que receberam a valeriana relataram melhora na qualidade do sono, contra apenas 4% do grupo que recebeu o placebo.

Como tomar: deixar a erva em infusão em água quente por até 10 minutos. É preciso consumir com moderação para evitar dores de cabeça e sonolência.

Veja mais: Benefícios da valeriana – Para que serve, chá e mais.
21. Chá de Mirtilo ou Blueberry
Consumir chá de mirtilo pode ajudar a reduzir a inflamação induzida por inchaço, de acordo com um estudo publicado na revista Molecular Nutrition & Food Research.

Para chegar a essas descobertas, os pesquisadores dividiram os participantes em dois grupos; um grupo recebeu uma dieta que incluiu o equivalente a 1 xícara e meia de chá de mirtilo, enquanto o outro grupo seguiu uma dieta de controle que não incluiu o chá. No final do experimento, o grupo que ingeriu o chá de mirtilo apresentou uma inflamação significativamente menor do que as pessoas que não consumiram o chá.

Como tomar: deixe ferver a água. Em seguida adicione o mirtilo deixando ferver por mais 10 minutos. O chá pode ser tomado quente ou gelado.

Veja mais: Benefícios do mirtilo – Para que serve e propriedades.
22. Chá de Camomila e Lavanda
O chá de camomila e lavanda evita a fadiga e a depressão, reduzindo o estresse que vem com a insônia. O estresse reduzido impede níveis aumentados de inflamação, que são diretamente ligados ao peso e às alterações do açúcar no sangue, como obesidade e diabetes.

Um estudo alemão descobriu que o chá de camomila melhorou significativamente os sintomas físicos relacionados à falta de sono e até ajudou a diminuir os níveis de depressão no período crônico de privação de sono.

Como tomar: faça uma infusão do chá por alguns minutos.

23. Chá de Lúpulo
O lúpulo, um composto presente também na cerveja, é uma planta sedativa cuja atividade farmacológica se deve principalmente às resinas amargas em suas folhas. O lúpulo aumenta a atividade de um neurotransmissor que ajuda a combater a ansiedade, aliviando a pressão do sistema nervoso e causando a redução da produção dos hormônios do estresse.

Como tomar: use os cones da erva, semelhantes a flores. Coloque uma xícara com água fervente sobre uma colher de chá de lúpulo e deixe em infusão por 10 minutos. Consuma antes de dormir.

24. Chá de Hortelã
O chá de hortelã tem uma propriedade interessante relacionada ao seu aroma. Enquanto alguns aromas podem desencadear a fome, outros podem suprimir o apetite. É o caso do chá de hortelã.

Um estudo publicado no Journal of Neurological and Orthopaedic Medicine descobriu que pessoas que cheiraram o aroma da hortelã a cada 2 horas perderam uma média de 2,5 kg por mês. Além disso, ingerir o chá de hortelã acelera a digestão e te ajuda a queimar mais calorias.

Veja mais: Chá de hortelã emagrece mesmo?
Como tomar: basta adicionar uma boa quantidade de folhas em uma panela com a quantidade desejada de água, levar ao fogo e ferver de 5 a 10 minutos.

Leia mais https://www.mundoboaforma.com.br/cha-para-emagrecer-15-melhores-como-tomar-e-dicas/#3E2qh4oR4Xm2mWPS.99

Descubra os 5 degraus para ter um emagrecimento saudável

Emagrecer exige muita força de vontade, disciplina e mudança de hábitos. Mas não é só isso. O psicólogo Diogo Montal sugere que para um processo de emagrecimento saudável e efetivo é necessário mudar também a forma de pensar em relação a alimentação e treinos. Veja, abaixo, cinco degraus importantes que devem ser considerados antes de iniciar o processo de emagrecimento saudável.

Leia também: Phytophen é bom

Confira 5 dicas para um emagrecimento saudável:

1. ESTABELEÇA UMA META – O psicólogo Diogo Montal diz que é importante determinar uma meta objetiva e clara, que vai tirá-lo de sua zona de conforto. Sem uma meta ficamos à deriva do acaso sabotador e caímos no auto engano do “conforto atual”. A meta geral é emagrecer. Mas se uma pessoa precisa eliminar 100 kg é preciso pensar no tempo que isso levará. Subdivida sua meta em semanas, dias e até turnos para ficar mais fácil. Estabelecer um vetor concreto e realizável é sair do marasmo. | Foto: Getty Images
1 de 7

Leia também: Dietas de emergência funcionam

De acordo com o psicólogo, até aqui você se moverá efetivamente em busca de sua meta, trabalhando o pensamento, comportamento, e ainda colocando em prática todos os conceitos ensinados nas dicas. “O resultado é consequência do que você realizou e com qualidade, o verbo fazer moldará o seu sucesso final. Viva o presente! Mudar a atitude e fazer a ação diariamente vai preencher o espaço vazio entre o quero e o de fato emagrecer”, completa.

Leia também: Kifina é bom

Além das dicas motivacionais para o psicológico, existem também 37 dicas práticas com pequenas mudanças de hábitos que podem ser a chave para conquistar seu objetivo. Uma delas é evite sal em excesso, pois ele aumenta a retenção de líquidos. Principalmente para as mulheres, no período pré-menstrual.

Descubra as verdadeiras causas da ereção suave

Quando você ouve as palavras “bandagem macia” ou “disfunção erétil”, você considera uma condição que afeta apenas homens mais velhos? Embora a idade seja certamente um determinante do risco de ser impotente, ela pode afetar homens de todas as idades. Problemas de disfunção sexual podem ser difíceis ou embaraçosos, especialmente em um homem em idade avançada, mas é um problema que afeta mais pessoas do que você pensa. Se você diz para si mesmo: “Por que eu sou suave? Você não está sozinho!

Embora os homens que você vê nos comerciais de Viagra sejam geralmente idosos de cabelos brancos, a verdade é que uma porcentagem significativa dos homens afetados é bastante jovem. De fato, um estudo publicado no Journal of Sexual Medicine relata que um em cada quatro casos de impotência é diagnosticado em homens com menos de 40 anos de idade. Pesquisas sugerem que 40% dos homens na casa dos quarenta sofrem de disfunção sexual e 50% dos homens na casa dos cinquenta.

Com a disfunção erétil que afeta homens cada vez mais jovens, o que você pode fazer para evitar se tornar uma estatística e evitar uma ereção suave no momento mais importante? Tudo começa com o reconhecimento das causa sou fatores que podem aumentar o risco de desenvolver disfunção erétil e tomar medidas para corrigi-los, se possível. Aqui estão alguns dos principais fatores de risco para uma ereção fraca.

Conheça o estimulante sexual masculino chamado Tauron.

Eu não bato mais … por quê? 10 causas insuspeitas

Embora você possa pensar que sua tenra idade o protege da disfunção erétil, a idade é apenas um dos muitos fatores de risco que podem contribuir para a disfunção erétil. Aqui estão os dez principais fatores de risco:

  • obesidade
  • produtos farmacêuticos
  • Desequilíbrio hormonal
  • Problemas médicos
  • Má circulação
  • Condições psicológicas
  • Consumo de drogas / álcool
  • Maus hábitos alimentares
  • fumador
  • Estilo de vida sedentário

Embora a falta de ereção forte pareça afetar os homens cada vez mais jovens, a consciência dos fatores que aumentam o risco de desenvolver esse problema permanece baixa. De acordo com uma pesquisa realizada na Polônia, quase 50% dos homens tratados por doença cardíaca isquêmica não conseguiram nomear um dos seis principais fatores de risco para a impotência sexual. Isso é importante porque muitos dos fatores de risco de banda flexível  são evitáveis ​​ou reversíveis … ou ambos.

Ter tempo para aprender sobre condições ou hábitos que podem aumentar o risco de ter uma ereção fraca é a chave para fazer mudanças saudáveis ​​que poderiam impedir o desenvolvimento da doença ou, se você já estiver com sintomas, reverter naturalmente. Vamos dar uma olhada mais de perto nos dez principais fatores de risco.

  1. Obesidade – O excesso de peso ou obesidade pode aumentar o risco de muitos problemas de saúde, incluindo disfunção erétil. Pesquisas sugerem que quase 80% dos homens com problemas de ereção têm um IMC de 25 ou mais. Ter um IMC entre 25 e 30 aumenta seu risco em 1,5 vezes e um IMC superior a 30 vezes o risco de ter esse problema.
  2. Medicamentos – Medicamentos prescritos geralmente vêm com uma longa lista de efeitos colaterais indesejados, e para muitos deles, a disfunção erétil está na lista. Antidepressivos, beta-bloqueadores, anti-histamínicos, anti-histamínicos, agentes quimioterápicos e hormônios sintéticos são algumas das drogas mais prováveis ​​de causar um problema de ereção macia.
  3. Desequilíbrio Hormonal – Hormonas desempenham um papel em muitas funções vitais do corpo e até mesmo um ligeiro desequilíbrio pode afetar sua libido, bem como a sua capacidade de se curvar mais forte e naturalmente . A testosterona é o principal hormônio envolvido na disfunção erétil, mas um desequilíbrio de outros hormônios causados ​​por problemas de tireóide ou pituitária também pode contribuir.
  4. problemas médicos – problemas de saúde que afetam a sua circulação (tais como diabetes tipo 2, doença cardíaca e pressão arterial elevada ) pode aumentar o risco de impotência. A síndrome metabólica, colesterol alto e doença de Parkinson e outros distúrbios neurológicos, também pode ter um efeito.
  5. Má circulação sanguínea – muitas vezes causada por uma doença cardíaca, má alimentação ou danos vasculares causadas por diabetes , má circulação é um dos principais fatores que contribuem para a disfunção eréctil. Se o fluxo sanguíneo para o pênis não é o suficiente, você não pode obter ou manter uma ereção dura.

Creme para celulite funciona (ou você está sendo enganada?)

Usar um creme anticelulite também é um importante aliado no combate ao fibro edema gelóide desde que tenha os ingredientes certos como cafeína, lipocidina, coenzima Q10 ou centella asiática, por exemplo.

Esse tipo de creme ajuda a acabar com a celulite porque confere uma pele mais firme, diminuem o tamanho das células de gordura e melhora a circulação local, sendo um importante coadjuvante do tratamento. Eles podem ser comprados em farmácias, drogarias, lojas de produtos naturais e também encontram-se disponíveis na internet. Confira aqui algumas boas opções e porque cada ingrediente ajuda na eliminação do fibro edema gelóide.

Leia também: Skin renov Anvisa

Ingredientes
Celludestok (Vichy)

Cafeína: ajuda a eliminar a gordura localizada
Ácido Salicílico:renova as células e facilita a ação da cafeína
LHA: esfolia e renova a pele
Lipocidina: também ajuda a eliminar a gordura localizada
Bye-Bye Celulite (Nivea)

Coenzima Q10 e L- Carnitina: ajuda na eliminação da gordura localizada e melhora a pele
Extrato de Lótus: reduz a formação de novas celulites
Cellu-sculpt (Avon)

Cafeína, Ginkgo biloba,ginseng: Combatem as células adiposas
Malva: Melhora a circulação e a aparência da pele
Bodyactive (O boticário)

Cafeína e Centella Asiática e Escina (derivado da Castanha da Índia): melhoram a circulação sanguínea, combatem as células de gordura
​Como usar
Geralmente é aconselhado aplicar o creme anti celulite em toda a região afetada, por exemplo barriga, flancos, glúteos, coxas e braços, 2 vezes ao dia, especialmente depois do banho. Para ativar melhor a circulação e consequentemente melhorar a penetração do creme, é aconselhado fazer uma esfoliação na pele, nas regiões com celulite, e logo a seguir aplicar o creme.

Leia também: Creme firmador funciona

O creme deve ser aplicado sempre no sentido ascendente, e por isso deve-se aplicar primeiro próximo ao joelhos e fazer o movimento de deslizamento até a virilha, insistindo na região interna e lateral da coxa, para facilitar o retorno venoso. Veja nestas imagens como deve ser feita a aplicação do creme, respeitando o sentido da drenagem linfática.

Assista o vídeo seguinte e veja o que realmente funciona para acabar com a celulite:

Como acabar com a celulite
Além do uso do creme anticelulite adequado, recomenda-se seguir uma dieta balanceada, realizar exercícios, especialmente para pernas e glúteos, e realizar sessões de drenagem linfática para vencer esta luta. Isso tudo é importante porque a celulite é causada por diversos fatores e adotar somente uma estratégia de tratamento não é suficiente.

A alimentação deve ser diurética e é indispensável reduzir os alimentos ricos em gordura, açúcar e beber bastante água. Também é recomendado praticar exercícios todos os dias, durante cerca de 1 hora para queimar gordura, mas além de exercícios aeróbicos como corrida, caminhada ou bicicleta, e também exercícios anaeróbicos, como a musculação. Confira aqui alguns exemplos de exercícios contra celulite que pode fazer em casa.

Outras técnicas que também auxiliam na eliminação de celulite e flacidez da pele são os tratamentos estéticos como ultrassom, lipocavitação ou radiofrequência, por exemplo. A drenagem linfática logo a seguir, melhora ainda mais os resultados.

Certos dias do mês a celulite pode ficar mais evidente, principalmente em que tem tendência à ter retenção de líquidos uns dias antes ou durante a menstruação, assim esse tratamento deve ser seguido durante, pelo menos, 10 semanas para poder comparar os resultados do antes e depois.